Após comprar a também alemã NSU, a VW absorveu o projeto K 70 (Assim como a Ford Brasileira assumiu o Corcel, projeto original da Willys-Overland do Brasil em parceria com a Renault) e o tornou seu primeiro automóvel de fabricação em série a contestar a arraigada concepção de motor traseiro refrigerado a ar, surgida com o Fusca nos anos 30.

Além de ser o filho primogênito da VW com motor “a água” e tração dianteira, o K 70 adotava suspensões modernas e pneus radiais: era o VW mais estável fabricado até então.

Com três volumes, linhas retas e amplos vidros, o K 70 não se parecia em nada com os modelos da VW na época (1970), mas serviria de inspiração para futuros projetos como o Audi 80 e o Passat.

Pouco mais de 200 mil unidades foram vendidas em cinco anos, mas o K 70 abriu caminho para que a VW adotasse novos conceitos de mecânica.

Fonte: www.bestcars.com.br