Me apaixonei pelos automóveis franceses do fabricante Avions Voisin a partir do texto As Leis de Voisin e a Morte da Citroën. Entre os detalhes que mais me chamaram a atenção sobre a marca foi à busca de se fabricar automóveis mais duráveis, silenciosos, seguros, estáveis, econômicos e velozes possíveis no início do século passado. Esta busca gerou regras que são utilizadas até hoje para se fazer um precioso automóvel ao pé da letra, alcançadas graça a experiência do fundador Gabriel Voisin (grande projetista, fabricante de aviões e o primeiro homem a voar em um aparelho por 1 km, voltar e pousar no mesmo local da decolagem) e de seu pupilo André Lefebvre (que anos mais tarde, revolucionou a Citroën e a indústria automobilística).

Hoje (30/07/2010), tenho a grata surpresa de saber, através do padrinho do blog Nerd de Carro, Nikollas Ramos, que o jornal O Globo publicou no seu caderno semanal Carro Etc uma foto do estande Avions Voisin e seus esplêndidos automóveis na Exposição de Automóveis de 1925, no Rio de Janeiro!

Não tive como não imaginar uma excitante viagem, com uma das unidades do estande, pela Fluminense Estrada macadamizada União e Indústria. Infelizmente, a primeira rodovia pavimentada do Rio de Janeiro, a Rio – Petrópolis, foi inaugurada seis anos após a exposição e impossibilitaria um teste ainda mais eufórico de um destes excepcionais automóveis Avions Voisin naquele momento.

Nessas horas minha imaginação vai longe, principalmente a bordo do “O Carro dos Reis, o Rei dos Carros” (frase comercial estampada em uma placa do estande Avions Voisin).